27 de abr de 2014

O tempo, as pessoas, tudo.


Quanto tempo faz desde que eu escrevi aqui pela última vez? Foi em junho, certo? O que aconteceu com a gente? Eu era tão apaixonada por isso aqui, eu amava cada pedaço desse blog e desse mundo. Onde foi que isso mudou? 
Eu mudei, mudei tantas vezes que às vezes nem sei mais quem sou... E então Anna, por que eu decidi voltar? Por que eu ainda preciso disso aqui? Por que eu não exclui esse blog? Não sei. Mas é como dizem, o bom filho a casa retorna, não é?
Eu lembro que em momentos de infelicidade e insatisfação comigo mesmo para com o mundo eu vinha aqui e desabafava. Quem precisava de pessoas quando se tinha isso aqui? Acho que foi aí mesmo que eu me enganei... Precisamos de pessoas. Eu preciso, você também, todo mundo precisa de alguém.
Passei por momentos ridículos, momentos de total drama e que me destruíram pouco a pouco. Passei por momentos em que eu não tinha motivo pra levantar, não tinha motivo pra respirar, não tinha motivo pra viver. E por que tudo isso Anna? Pessoas. É, pessoas... Por que algo tão necessário pode ser (é) tão destrutivo? Eu não entendo.
Isso torna tudo mais frustante! Eu não entendo... Eu não sei lidar. Mas não pense que esse é só mais um texto sem sentido que expressa algum sentimento vazio e fútil. Não, não é isso. Eu tô bem. Tô estável e vou continuar tentando. Sabe quando você chega ao seu limite? ELE NÃO EXISTE. Limite, meu bem, isso não existe. Você só tem que continuar, levante-se! Não desista!
Eu fiquei tão mal. Me senti péssimo, um lixo, descartável, feia, pequena (ok, isso eu já sou, mas né -q), inferior, desnecessária, não importante, impotente. Me senti um nada. Nada podia me ajudar. Nada iria me trazer de volta. Tantas pessoas tentaram me levantar de novo, mas eu não queria seguir em frente, eu não queria esquecer. Mas aí é que esta. Aprendi da pior maneira que não se trata de esquecer, mas de conviver com o fato de ter sido esquecida.
Consegui me apoiar no que é realmente importante e em quem vale a pena. Sabe quando algumas pessoas conseguem te fazer feliz? Se sentir bem de novo? SENTIR QUE VOCÊ É IMPORTANTE SIM. Sabe como isso é bom? Finalmente o sentimento de estabilidade que eu tanto queria. Alcancei isso. Os sentimentos negativos estarão comigo pra sempre, mas só cabe eu a decidir se vou viver ou não com eles. Quero dizer, não é algo que possamos controlar, mas por quê tudo vai dar errado? SE VOCÊ ACREDITAR QUE VAI DAR ERRADO, NÃO VAI FAZER NADA PRA DAR CERTO.

Nenhum comentário: